As melhorias não param. Parar por quê?

ENERGIA: CONSCIÊNCIA ACESA, DESPERDÍCIO APAGADO

Imagine garantir que parte da energia utilizada em nossas operações em São José dos Pinhais (PR) e Registro (SP) seja renovável. Esse cenário virou realidade em 2016, quando migramos para o mercado livre de energia e diminuímos a utilização de combustível fóssil (óleo diesel) para geração de energia elétrica. Os resultados dessa novidade foram a economia financeira e a redução do indicador de emissão de gases de efeito estufa em 53% em Registro e 19% em São José dos Pinhais. O mercado livre de energia elétrica é um meio pelo qual o consumidor pode escolher livremente seus fornecedores de energia. Dessa forma, consumidores e fornecedores negociam as condições de contratação e a fonte de geração da energia. Em nosso caso, negociamos para que 50% da energia comprada seja produzida a partir de fontes alternativas renováveis. Na unidade de São José dos Pinhais, a adoção de lâmpadas de LED nas áreas de envase, refeitório, logística, manutenção, docas e oficinas garantiu uma economia superior a 250 mil khw/hora. Mas não é só no Paraná que a economia acontece. Nossa fábrica em Camaçari (BA) é equipada com lâmpadas fluorescentes e o indicador de consumo de energia elétrica de 2016 diminuiu 44% em relação a 2015. O Centro de Distribuição que temos em São Gonçalo dos Campos, no mesmo estado, continuou fazendo bonito e garantiu a redução de 12% do indicador de consumo de energia elétrica se comparado a 2015.

O QUE É TENDÊNCIA

Em 2016, Carbon Disclosure Program (CDP) coletou informações com mais de 600 companhias globais sobre gestão de água e descobriu que 54% delas estabeleceram metas e objetivos relacionados à água. Isso revela que a gestão sustentável desse recurso tem despertado cada vez mais o interesse do setor privado.

O QUE A GENTE JÁ FAZ

A redução do consumo de água faz parte da nossa rotina desde 2006. De lá para cá, vários projetos foram implementados e, em 2016, o destaque foi a torre de resfriamento do site de São José dos Pinhais (PR), que hoje funciona com 100% de água proveniente de reuso.

Água: uso, reuso e multiuso

 

Atualmente, temos 21% do total de água utilizada em São José dos Pinhais (PR) e 31% em Camaçari (BA) proveniente de iniciativas de reuso. E 2016 foi um ano importante para atingirmos esses percentuais.

Em São José dos Pinhais, por exemplo, nossas torres de resfriamento utilizavam 70% de água de reuso. Apesar de ser um bom indicador, fomos atrás de eficiência total e encontramos em Israel uma tecnologia que garante 100% de água de reuso nas torres. A tecnologia foi implantada em uma torre e deve ser ampliada nos próximos anos.

O UET, nome do equipamento utilizado, foi colocado em prática num projeto-piloto em 2016, na fábrica de maquiagem. Monitoramos o funcionamento durante quatro meses e, em novembro, constatamos que estávamos diante do que tanto procurávamos! Agora, queremos adotar massivamente o UET para, até 2018, termos todas as torres funcionando com 100% de água de reúso.

Além de buscar soluções mundo afora para o uso racional de recursos, valorizamos as ideias que surgem dentro de casa. E são várias! Um exemplo vem da fábrica de cremes, em São José dos Pinhais (PR), e envolveu 45 colaboradores. Eles identificaram oportunidades de melhoria, como controlar a vazão de água no momento de parar e ajustar a máquina de envase. O resultado? Essa foi uma das iniciativas que contribuiu para que o indicador de consumo diminuísse 17% em comparação a 2015

O QUE É TENDÊNCIA

Em 2016, Carbon Disclosure Program (CDP) coletou informações com mais de 600 companhias globais sobre gestão de água e descobriu que 54% delas estabeleceram metas e objetivos relacionados à água. Isso revela que a gestão sustentável desse recurso tem despertado cada vez mais o interesse do setor privado.

O QUE A GENTE JÁ FAZ

A redução do consumo de água faz parte da nossa rotina desde 2006. De lá para cá, vários projetos foram implementados e, em 2016, o destaque foi a torre de resfriamento do site de São José dos Pinhais (PR), que hoje funciona com 100% de água proveniente de reuso.

Gases de efeito estufa: Cuidado permanente

 

Além do intenso esforço para reduzir a emissão de gases de efeito estufa no transporte entre nossas fábricas e os pontos de vendas, apresentados no tópico Sustentabilidade sobre rodas, adotamos iniciativas em nossa operação industrial.

É o caso do inventário anual informando as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEEs), documento que, em 2016, revelou bons resultados. Em Camaçari (BA), o indicador relativo de emissão caiu 46% em relação a 2015 e, em São Gonçalo (BA), 48%. Em São José dos Pinhais (PR) e Registro (SP), a migração para o mercado livre de energia fez com que reduzíssemos o indicador de emissão em relação a 2015. Em Registro, por exemplo, a queda foi de 53%.

Nosso interesse é tanto nesse assunto, que somos cofundadores do Programa Brasileiro Green House Gas Protocol (GHG Protocol), desdobramento da iniciativa internacional lançada em 1998 para contabilizar e gerenciar as emissões de gases de efeito estufa no planeta.

Desde então, disponibilizamos anualmente nosso inventário de emissões no Registro Público de Emissões e, em 2016, passamos a fazer parte também do Registro Público do Estado do Paraná, pelo qual fomos agraciados com o Selo Clima Paraná, categoria Prata

Derrubamos nossas emissões de CO2 em:
  • 53% Registro (SP)
  • 48% São Gonçalo (BA)
  • 46% Camaçari (BA)

Resíduos Sólidos: Eles valem ouro

 

Atualmente, 94% de todos os resíduos gerados em nossa operação em São José dos Pinhais (PR) e Camaçari (BA) são destinados à reciclagem. Por exemplo: os tambores em que recebemos matérias-primas são higienizados e devolvidos ao mercado. O álcool residual da produção de perfumes é encaminhado para a indústria de tintas e é utilizado como solvente.

Mais exemplos? Os resíduos industriais com alto poder de queima, como óleos e borrachas, vão para empresas que produzem cimento. Com essas e outras iniciativas, garantimos que apenas 6% do resíduo gerado por nós seja destinado a aterros sanitários. E, muito em breve, esse percentual será nulo. Estamos trabalhando para isso.

São José dos Pinhais e Camaçari 94% de resíduos para reciclagem.