Gestão de resíduos


Tudo na vida tem um ciclo, e nossos produtos e os resíduos gerados por nossas operações também. Um grande esforço para reaproveitamento de materiais que seriam descartados é feito para que o mínimo possível seja enviado a aterros sanitários. A cada ano, somamos aos nossos processos tecnologias e boas práticas que nos permitem ampliar o percentual de resíduos reciclados. Em 2018, atingimos a marca de 95% de resíduos reciclados contra os pouco mais de 91,2% de 2017 e reduzimos a zero a incineração. Também alcançamos e ultrapassamos a meta de diminuir a geração de resíduos nas fábricas: o valor limite era de 21,98 toneladas de itens para cada milhão de toneladas de produtos produzidos, mas conseguimos ir além e baixar a marca um pouco mais, chegando a 21,19 toneladas de resíduos por milhão de toneladas produzidas.

 


Substituições 
inteligentes

Desenvolvemos, em 2018, o projeto Chutando o Balde, para eliminar o uso de baldes plásticos no processo de envase de batons na fábrica de maquiagem. Por uma questão de segurança e integridade dos produtos, os baldes não podiam ser reutilizados no mesmo processo e eram 100% destinados para reciclagem. Mas a intenção era evitar que novos vasilhames, feitos de plástico, fossem produzidos. Uma mudança no processo permitiu a troca por caixas plásticas de maior volume, forradas com filme plástico, que se tornou o único descarte no processo, uma vez que as caixas podem ser reutilizadas muitas vezes. A partir de maio de 2019, deixamos de usar 1.500 baldes por mês, evitando a geração de resíduos em oito toneladas por ano.

Outra ação que resultou em uma redução expressiva de material para reciclagem foi o projeto Caixa Única, que consiste na reutilização das caixas enviadas pelos fornecedores na nossa linha de produção até os centros de distribuição e lojas. O projeto que,até agora, envolve duas linhas de produtos de um mesmo fornecedor e, em 2018, evitou a geração de 120 toneladas de resíduos de papelão. Estamos em fase de testes para expandir o projeto a outras linhas de produtos e fornecedores.

 

Evitar o lixo em sua origem

A preocupação com resíduos de nossa atividade não se limita aos que são gerados por nossas unidades operacionais. Cuidar do ciclo de vida dos produtos e da destinação pós consumo mais adequada de suas embalagens, por meio do programa de logística reversa, e diminuir o impacto delas sobre o meio ambiente é um compromisso que se inicia na ecoeficiência dessas embalagens desde sua origem.
Para isso, não poupamos esforços em inovar. Nos frascos de Malbec Club Intenso, cerca de 35% do vidro usado na produção é reciclado, o que resulta na reutilização de mais de 180 toneladas de vidro por ano. E, no final de 2017, por exemplo, lançamos as embalagens em PET reciclado na linha Nativa SPA, fabricado a partir de garrafas como as de refrigerante. Em 2018, esse tipo de plástico também passou a ser usado em outras linhas, como Make B.
Outra inovação que tem trazido excelentes resultados é o uso de refil, um tipo de embalagem que consome menos plástico do que as embalagens comuns. Na linha Cuide-se Bem, essa economia chega a 69%. Os refis estão presentes itens de uso contínuo, com impacto positivo ao longo do tempo: nas maquiagens quem disse, berenice? (pó compacto, base, sombra), em diferentes linhas de desodorante de O Boticário e Eudora, em loções hidratantes de Nativa SPA e sabonetes líquidos de Eudora.
 
Tirar a sustentabilidade do papel
Para diminuir o uso de papel nas embalagens, o Grupo Boticário aposta no papel reciclado e em novos formatos de caixas. Nas linhas Make B, por exemplo, atingimos 87% de todos os cartuchos (tipo de embalagem secundária), feitos com papel reciclado. Em quem disse, berenice?, os cartuchos de maquiagem lançados em 2018 também foram desenvolvidos com esse material, assim como em linhas de Eudora, como no caso do batom Liptint, do pó compacto, paleta de sombras e corretivo. Na linha Floratta, um novo desenho das embalagens e mudanças na forma de transporte possibilitaram a redução de cerca de 50 toneladas de papel a cada ano. São 800 árvores que deixaram de ser cortadas. A iniciativa, além de economizar matéria-prima e recursos naturais, rendeu o prêmio ABRE de embalagens