Nossa cadeia é de valor

No Grupo Boticário, trabalhamos com o conceito de cadeia estendida. Isso significa que, para nós, o negócio dos nossos fornecedores é, em parte, uma extensão do nosso e, ao trabalharmos juntos, passamos a compartilhar responsabilidades e desafios.

Isso faz parte de uma realidade em que as cadeias de produção estão cada vez mais controladas, rastreáveis e as empresas são cada vez mais responsáveis pelos negócios de seus fornecedores. Entendemos que esta é uma relação mais justa de comércio e estamos dispostos a investir em produtos e serviços que tragam benefícios nessas áreas.

O Grupo Boticário trabalha com metas voltadas para práticas ecoeficientes entre seus fornecedores. Acreditamos que, mais do que uma prática de gestão de riscos, essa é uma forma de diferenciação, isto é, adotar essa forma de trabalhar traz também mais resultado financeiro para essas empresas.

Esse trabalho vem gerando resultados reais e mensuráveis. Cada vez mais, o fornecedor está entendendo a sustentabilidade como um item agregador de seu negócio. Na pesquisa de reputação, foi exatamente esse o público que mais percebeu a nossa atuação em sustentabilidade, com média de 9,7.

Do nosso lado, estamos cada vez mais determinados a ampliar o volume de nossas compras feitas de fornecedores sustentáveis – aqueles que têm um alto desempenho no tema. Tecnicamente, chamamos esse indicador de compras de spend sustentável. Em 2018, alcançamos a casa de R$ 1,5 bilhão em contratos com fornecedores sustentáveis, 14% a mais do que no ano passado. Nosso objetivo é atingir os R$ 2 bilhões até 2024. 

Criado em 2015, o Programa de Parceria em Ecoeficiência saltou de 10 para 27 fornecedores participantes. Este grupo já vinha recebendo assessoria técnica para se juntar ao Grupo Boticário em suas metas de redução do consumo de água, energia, emissões de gases de efeito estufa e geração de resíduos. O compromisso deste grupo de empresas é atender as recomendações que fazemos em termos de ecoeficiência, parcial ou integralmente, com acompanhamento trimestral. A meta é, até 2020, envolver 100% dos fornecedores estratégicos, considerando a base de 2017, neste programa. 

Com fornecedores mais preparados, nossos negócios se tornam mais seguros, mais inovadores e com maior potencial de diferenciação. É especialmente com esse time de elite que buscamos e queremos trabalhar. Há, porém, fornecedores que ainda não estão neste grupo, mas que são relevantes para a gente. Nesse caso, trabalhamos juntos para que eles se tornem mais sustentáveis por meio de acompanhamentos, avaliações constantes e devolutivas com foco em sua melhoria.

Essas empresas participam do nosso Programa de Avaliação e Desenvolvimento de Fornecedores (PADF), que já existe há mais de 20 anos, testando a maturidade de nossos parceiros em aspectos relacionados aos negócios, inclusive em sustentabilidade. Aqueles que apresentam os melhores desempenhos são reconhecidas por sua atuação. Em 2018, os premiados no Encontro de Fornecedores, em março, foram BASF, Firmenich e BoxPrint.

Por tudo isso, o ano de 2018 trouxe uma certeza: estamos comprando melhor. Isso significa que os materiais e serviços que adquirimos passaram a trazer mais algum diferencial, seja em termos de certificação, de ecoeficiência ou redução de impactos.

 

Transformando o desejável em realidade

O Grupo Boticário trabalha no desenvolvimento de seus fornecedores usando o conceito de atributo desejável. Na prática, categorizamos algumas características dos serviços e produtos de nossos parceiros que podem fazer diferença em nossa produção e, consequentemente, em nossas práticas de sustentabilidade. Ao incentivar que o fornecedor desenvolva esses atributos, aprofundamos o relacionamento e, ao mesmo tempo, contribuímos para a maior sustentabilidade da cadeia ampliada.

 

Auditorias e avaliações

Além das auditorias, que ocorrem regularmente para homologação de fornecedores diretos, 98% dos fornecedores estratégicos diretos e indiretos (62 empresas) e mais de 22 fornecedores relevantes para o Grupo Boticário passaram por autoavaliação em sustentabilidade (metodologia que contempla, entre outros aspectos, práticas de ecoeficiência, conduta, direitos humanos, práticas trabalhistas e diversidade).

Também contamos com 172 parceiros de negócios avaliados nas etapas de homologação da ferramenta SAP ARIBA e 124 auditorias sociais e ambientais em fornecedores. Até dezembro de 2020, 100% dos fornecedores de matérias-primas contarão com certificação RSPO, relacionada à sustentabilidade na extração de óleos vegetais, especialmente o Óleo de Palma.

Para maior eficiência de nossa gestão, a matriz de risco de Suprimentos classifica nossos fornecedores e destaca aqueles grupos com quem devemos estabelecer uma relação mais próxima. Ao todo, são nove categorias de risco: Ambientação de Lojas (VM), Benefícios, Construção Civil, Contact Center, Incentivos, Materiais Gráficos, Meio Ambiente, Padronização de Lojas e Transporte que passam constantemente pelo processo de compras sustentáveis em que são avaliados aspectos operacionais, trabalhistas, financeiro, conduta, ecoeficiência, entre outros. Dependendo do desempenho em cada item, o fornecedor pode obter um diferencial no processo de concorrência ou ser desclassificado.

 

Aperfeiçoamento e encontro

Como acontece todos os anos, promovemos em 2018 um workshop de sustentabilidade para nossos fornecedores, conduzido pelas áreas de negócio, o que enriqueceu o debate. A novidade é que, desta vez, dividimos as empresas em dois grandes grupos, o de produtos e o de serviços. Esse alinhamento permitiu com que eles tivessem uma realidade mais próxima um do outro e mais possibilidades de compartilhar experiências e dúvidas. Contamos a presença de 82 fornecedores e 93% de aprovação do conteúdo.

Também em 2018, aperfeiçoamos nossos sistemas para conseguir trabalhar de forma mais automatizada e integrada com o fornecedor. Criamos plataformas e buscamos ferramentas que oferecem inteligência para cruzar dados de desempenho e comparar com os de outros fornecedores que trabalham com a gente. A partir dos resultados dessas análises, sugerimos oportunidades de melhoria para os produtos e serviços.

 

Integração e parceria

Por ocasião da greve de caminhoneiros, no primeiro semestre de 2018, nossa cadeia de valor foi muito afetada em uma de suas datas mais importantes, o Dia dos Namorados, alterando o próprio cotidiano dessa operação.

Ao lidar com uma realidade em que uma de nossas linhas chegou a ser paralisada por falta de embalagens e nossos parceiros da logística de transportes não conseguiram ter acesso a combustível para abastecer seus caminhões, buscamos estratégias conjuntas para reduzir os impactos.

Em alguns casos, adiantamos os pagamentos de contratos – quando isso era possível – para reforçar o caixa dos fornecedores, permitindo com que estivessem mais confortáveis para fazer frente à crise. Também desenvolvemos uma estratégia de cargas fracionadas, ampliando a quantidade de transportadoras envolvidas na prestação do serviço. E, sem abrir mão da sustentabilidade, pedimos a nossos prestadores que dessem preferência a terceiros que trabalhassem com caminhões menores, com menos emissões, e que usassem kit bicombustível, motor híbrido ou outros recursos sustentáveis.

Esse tipo de situação, além de revelar novas maneiras de fazer aquilo a que já estávamos habituados, reforça nosso posicionamento ao apontar para o conjunto de nossos fornecedores a importância de buscar boas práticas que os diferenciem.

 

 

Diversidade na cadeia de nossos fornecedores

A promoção da diversidade em nossa cadeia de fornecimento é considerada um atributo importante, isto é, algo a ser trabalhado por esses parceiros comerciais. Hoje, entre nossos fornecedores estratégicos, 54% apresentam iniciativas para promoção de diversidade, enquanto 8% de nosso spend é destinado a empresas lideradas por mulheres. Em 2018, aplicamos uma pesquisa sobre diversidade com os principais parceiros, a fim de identificar como o tema está sendo tratado por eles.