Energia: consciência acesa, desperdício apagado

 

As melhorias não param. Parar por quê?

ENERGIA: CONSCIÊNCIA ACESA, DESPERDÍCIO APAGADO

Imagine garantir que parte da energia utilizada em nossas operações em São José dos Pinhais (PR) e Registro (SP) seja renovável. Esse cenário virou realidade em 2016, quando migramos para o mercado livre de energia e diminuímos a utilização de combustível fóssil (óleo diesel) para geração de energia elétrica. Os resultados dessa novidade foram a economia financeira e a redução do indicador de emissão de gases de efeito estufa em 53% em Registro e 19% em São José dos Pinhais.

O mercado livre de energia elétrica é um meio pelo qual o consumidor pode escolher livremente seus fornecedores de energia. Dessa forma, consumidores e fornecedores negociam as condições de contratação e a fonte de geração da energia. Em nosso caso, negociamos para que 50% da energia comprada seja produzida a partir de fontes alternativas renováveis.

Na unidade de São José dos Pinhais, a adoção de lâmpadas de LED nas áreas de envase, refeitório, logística, manutenção, docas e oficinas garantiu uma economia superior a 250 mil khw/hora.

Mas não é só no Paraná que a economia acontece. Nossa fábrica em Camaçari (BA) é equipada com lâmpadas fluorescentes e o indicador de consumo de energia elétrica de 2016 diminuiu 44% em relação a 2015. O Centro de Distribuição que temos em São Gonçalo dos Campos, no mesmo estado, continuou fazendo bonito e garantiu a redução de 12% do indicador de consumo de energia elétrica se comparado a 2015.

O QUE É TENDÊNCIA

Em 2016, Carbon Disclosure Program (CDP) coletou informações com mais de 600 companhias globais sobre gestão de água e descobriu que 54% delas estabeleceram metas e objetivos relacionados à água. Isso revela que a gestão sustentável desse recurso tem despertado cada vez mais o interesse do setor privado.

O QUE A GENTE JÁ FAZ

A redução do consumo de água faz parte da nossa rotina desde 2006. De lá para cá, vários projetos foram implementados e, em 2016, o destaque foi a torre de resfriamento do site de São José dos Pinhais (PR), que hoje funciona com 100% de água proveniente de reuso.