Tendências

Tendências já são realidade para nós

Trabalhamos com beleza e, para nós, isso significa construirmos hoje um futuro mais sustentável. Esse desejo nos mobiliza desde o início da nossa história, em 1977. De lá para cá, as melhores práticas permeiam nossas crenças e atitudes, pois entendemos que agir em prol da beleza não é somente buscar ter produtos ou linhas sustentáveis, mas manter toda a nossa operação alinhada aos princípios desse conceito. Em 2012, evoluímos com nossa estratégia, integrando a sustentabilidade com o modelo de negócios, identificando os desafios de longo prazo para o Grupo e suas unidades de negócios. Nos concentramos em três frentes de atuação: Matérias-Primas e Embalagens (ciclo de vida dos produtos e logística reversa); Ecoeficiência (produção e cadeia de valor) e Canais de Venda (pontos de venda e revendedores), além de um olhar transversal que permeia nossa cadeia de valor. Tivemos muitas conquistas desde que fortalecemos nossa estratégia de sustentabilidade. Tanto fizemos, tanto construímos e tanto transformamos que, em 2016, celebramos a maturidade do nosso jeito de ser sustentável e promovemos hoje iniciativas que antes eram vistas como futuro distante. Olhando para o passado, sabemos que contribuímos bastante para a inclusão e o desenvolvimento do tema no jeito de empreender. E, olhando para o futuro, analisando as tendências globais quanto à sustentabilidade, confirmamos que não só estamos no caminho certo, como também estamos passos à frente, liderando uma jornada sem volta!

“Nosso desejo de transformar a sociedade com um novo jeito de fazer negócio vem se concretizando, pois conseguimos implementar iniciativas cada vez mais relevantes, com propósito cada vez maior para beneficiar toda a sociedade. O desafio para os próximos anos é acelerar nossa capacidade de resposta, assumindo uma postura mais ousada e corajosa para acompanhar as mudanças rápidas que o mercado e a sociedade pedem.”

Malu Nunes Gerente de Sustentabilidade
Anualmente, vamos a campo ouvir colaboradores, franqueados, fornecedores, consumidores, associações de classe e outros formadores de opinião para acompanhar a imagem do Grupo Boticário em relação à nossa atuação em sustentabilidade. Esse processo é parte da Pesquisa de Materialidade, requisito da metodologia Global Reporting Initiative (GRI) que praticamos desde 2011. O estudo de 2016 mostrou uma evolução significativa sobre como somos percebidos nesse cenário: 71% dos entrevistados avaliam as práticas de sustentabilidade do Grupo Boticário como boas ou ótimas, e 60% conhecem nossas iniciativas de recolhimento e reciclagem de embalagens. Entre o público interno, 93% dos colaboradores afirmam que a atuação do Grupo Boticário em sustentabilidade e a preocupação com questões sociais e ambientais em seu negócio contribuem muito para aumentar o seu orgulho em trabalhar na empresa. Com os consumidores, a reputação em sustentabilidade é um influenciador de decisão que se destaca, pois 70,3% deles afirmam levar em consideração ações sustentáveis da marca ao comprar cosméticos. A conclusão é que a percepção da sociedade é igual à nossa: o Grupo Boticário não se limita a atender os requisitos indispensáveis a uma empresa sustentável. Estamos na vanguarda na maioria dos temas considerados materiais pelo grupo e nossos stakeholders.*
É assim, olhando para o futuro e agindo no presente, que praticamos nossa visão de sustentabilidade. Não estamos sozinhos, pois colaboradores, franqueados, fornecedores, consumidores e muitas instituições acreditam o mesmo futuro que nós e participam da transformação por meio da beleza. O resultado desse movimento você confere neste relatório. E falando em transformação por meio da beleza, no ano passado trabalhamos ainda mais para promover a inclusão das pessoas com deficiência em nossas marcas. O resultado? Campanhas acessíveis que trazem legendas, tradução em Libras e audiodescrição. É um movimento que, certamente, continuará nos próximos anos.

Como nossos públicos avaliam as práticas de sustentabilidade do Grupo Boticário

MENOS GASTO DE ENERGIA

O que é tendência
Segundo estudo da Bloomberg New Energy Finance, o mundo viverá uma rápida transição para energia limpa ao longo dos próximos 25 anos.
O que a gente já faz
Em 2016, migramos para o mercado livre de energia e, nos sites de São José dos Pinhais (PR) e Registro (SP), 50% do consumo já é de energia limpa, sem uso de combustível fóssil.

MENOS CONSUMO DE ÁGUA

O que é tendência
Em 2016, Carbon Disclosure Program (CDP) coletou informações com mais de 600 companhias globais sobre gestão de água e descobriu que 54% delas estabeleceram metas e objetivos relacionados à água. Isso revela que a gestão sustentável desse recurso tem despertado cada vez mais o interesse do setor privado.
O que a gente já faz
A redução do consumo de água faz parte da nossa rotina desde 2006. De lá para cá, vários projetos foram implementados e, em 2016, o destaque foi a torre de resfriamento do site de São José dos Pinhais (PR), que hoje funciona com 100% de água proveniente de reúso.

PDVS MAIS SUSTENTÁVEIS

O que é tendência
Entre as tendências de varejo sustentáveis que devemos prestar atenção está a integração, a cada dia mais essencial, da sustentabilidade a todos os aspectos do negócio, além: no marketing, mechandising, na cadeia de mantimentos, nas formas de abastecimento, recursos humanos e muito mais.
O que a gente já faz
Ponto de venda de quem disse, berenice? conquistou maior certificação internacional para construções sustentáveis, LEED Platinum, na categoria varejo. Temos a loja de cosméticos mais sustentável do Brasil!

A GENTE RECICLA MUITO!

O que é tendência
Assinado no final de 2015, o Acordo Setorial de Embalagens gerou, em 2017, um relatório que aponta ações de Logística Reversa em 422 municípios de 25 Estados Brasileiros, com meta de reduzir em 22% a quantidade de embalagens pós-consumo destinadas a aterros até o fim de 2017.
O que a gente já faz
Em 2006, lançamos nosso Programa Reciclagem de Embalagens e, desde então, mantemos parcerias com cooperativas de materiais recicláveis. Com a logística reversa, as embalagens coletadas seguem para os catadores, que fazem a triagem e encaminham os resíduos para a reciclagem. Dessa forma, são inseridos em novos ciclos produtivos. Em 2016, 1.200 catadores foram beneficiados por essa iniciativa e têm oportunidades de profissionalização